Propagandas...

O projeto Skateparks do Brasil exibe propagandas para custear o registro do domínio. Ajude-nos a continuar mapeando as pistas de skate do Brasil e do mundo.

Praia Grande - São Sebastião

Está ali, bem do lado de Maresias, a pista de skate da Praia Grande. Uma bela pista, mas que deixamos a critério dos leitores sua avaliação. Além de informar que está situada na Rodovia Governador Mário Covas, ou BR 101, se preferir, não vamos falar sobre ela. 
Esse parque de skate foi escolhido para a postagem de hoje* por estar na cidade** onde nasceu o primeiro campeão brasileiro de surf, Gabriel Medina. É um feito histórico. Será sempre lembrado. Foi emocionante mesmo para quem nunca surfou. Pipeline teve seu grau máximo de vibração do público festa naquele trecho de areia. E longe dela estava todo o país pendurado na ESPN, site da ASP ou Youtube. Ao vivo. Acompanhar aquela coroação deu orgulho. Entendo, aliás, que ele deveria ter sido duplamente coroado. Pois foi melhor que Julian Wilson e merecia ser também o campeão daquela importante etapa. Mas fazer o que, né? Juiz é juiz em qualquer esporte. Justo ou não são eles que dizem. 


Aliás corre por aí que nosso campeão foi punido por ter saído do mar, carregado, dado entrevista e ainda assim voltar para a bateria e ganhar, conseguindo continuar até a final da competição. Ou quem sabe por ter ganhado de um brasileiro que ficou na água comemorando por ele. Quem sabe? Assim decidem os espíritos do surf. 

O fato é que Medina mostrou muita habilidade e humildade. É um cara que merece estar representando todos que torcem pelo esporte ou por ver alguém da sua terra chegando lá. Deus queira que essa vitória traga um impulso no nível de competitividade dos atletas do Brasil. Somos campeões mais do que nunca. O Brasil pode ser melhor no esporte que quiser. Tá bem que não dá para exigir demais, porque não temos neve por aqui e algumas pranchas precisam desse "pequeno detalhe". Mesmo assim. Argentina e Chile, nossos países irmãos, estão aí do lado, com ladeiras de neve de respeito.

Alguns podem achar que este não é assunto para se tratar em um projeto sobre pistas de skate. Mas estamos falando, amigos, do pai de todos os esporte de prancha. Entre dezenas ou centenas de modalidades existentes destas atividades que requerem um shape, preso ou não aos pés, vamos olhar por cima como estamos nesse tipo de esporte radical? Considerando as mais conhecidas. No skate, considerando street, vertical e downhill, o Brasil já tem 11 atletas reconhecidos como melhores do mundo.

Bob Burnquist (2000 e 2008)
Carlos de Andrade (2000 e 2009)
Rodil Ferrugem (2002 e 2004)
Sandro Dias (2003, 2004, 2005, 2006 e 2007)
Sérgio Yuppie (2005, 2006, 2007, 2008 e 2009)
Karen Jones (2006 e 2008)
Rodolfo Ramos (2008 e 2010)
Pedro Barros (2010, 2011 e 2012)
Letícia Bufoni (2011 e 2012)
Kelvin Hoefler (2011 e 2012)
Douglas Dalua (2012) 
Fonte: CBSK.

No surf, em outro ponto de vista, sem considerar competições regulares, o que é muito diferente, Carlos Burle foi o primeiro campeão brasileiro, de ondas grandes. E  Phil Rajzman na categoria longboard. Mas isso não importa, pois os três tem mérito. Todo feito tem sua grandeza. No sandboard também temos campeão mundial, Digiácomo Dias, de Floripa, já levou o Brasil ao lugar mais alto do pódio. Na página da Associação Brasileira de Wakeboard consta que um brasileiro está na segunda colocação.

O projeto Skateparks do Brasil manda os parabéns para todos aqueles que carregam a bandeira do Brasil colada no seu shape! Em especial para o que mais recentemente cravou seu nome na história. 

Valeu Gabriel Medina!!!

** Se quiser ver mais pistas de skate da cidade de São Sebastião veja também esta matéria na enciclopédia Skate Curiosidade.

* Escrevo esta postagem em 25 de dezembro de 2014, seis dias após, mas deixo como data da postagem esse dia inesquecível para o surf brasileiro.

3 comentários:

  1. É isso! Medina interrompeu a eterna hegemonia EUA-AUS e chacoalhou o mundo do surf competição pra sempre! Valeu, Gabrirl!!! Esperávamos por isso a mais de 50 anos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diferente disso só Peru com Felipe Pomar (1965); África do Sul com Shaun Tomson (1977 ) e Reino Unido com Martin Potter (1989 ). Com tantas boas ondas sobre o planeta, porque tão poucos países chegaram lá? A resposta pode parecer óbvia, se levada por um ponto de vista estritamente econômico. Mas prefiro acreditar que é porque os dois países mais consagrados possuem costas banhadas por oceanos diferentes.
      :-)

      Excluir
    2. A informação sobre o peruano está na wikipedia:
      http://en.wikipedia.org/wiki/Association_of_Surfing_Professionals#ASP_World_Tour_Champions
      É campeonato em formato antigo, mas acho que dá para contar.

      Excluir